Geração Y – pais Millennials.

Parece que está em alta falar sobre a geração Y, recentemente surgiu uma polêmica relacionada ao estilo de vida dessa geração que pode ser conhecida também como Millennials. Como irão impactar nas Escolas?

Após a leitura de alguns textos, a maioria produzidos por Millennials, começaram a surgir muitas questões direcionadas para as escolas, tais como: será que as escolas estão prestando atenção em como essa geração consome? A escola percebeu que o futuro da educação, em que os pais serão os Millenials (que não está tão distante assim) será diferente do modelo que temos na maioria das escolas hoje? A sua Escola está preparada para essa nova geração de pais?

São formados por grandes formadores de opiniões, com um jeito diferente de consumir, de fazer suas escolhas, de mostrar o que lhes agrada ou não, da forma como se comunicam vai impactar nas escolas, na escolha da educação de seus filhos. Será que o modelo que vemos hoje na maioria das escolas, vai ser o que eles querem para seus filhos?

A geração Y, diferente de seus pais, não quer acumular bens, ela quer trabalhar para ter sua liberdade, viver de emoção e provar novas sensações.O padrão que os pais  da geração Y tentaram impor de ir para uma boa universidade e ter uma nota boa no Enem, para ter um futuro cheio que conquistas  aquisições não será mais prioridade. Essa geração tem a intenção de criar seus filhos para serem pessoas felizes, livres e que possam ser o que quiserem.  Será que ao invés da escola ter excelência no Enem formar pessoas de bem, cidadãos, com valores e princípios será o futuro da educação? Como você imagina que serão as Escolas no futuro?

Sua Escola está preparada para os pais Millennials ?

Textos que inspiraram o pensamento:

De um lado: “ A geração que encontrou o sucesso no pedido de demissão “O cenário é mais ou menos esse: amigo formado em comércio exterior que resolveu largar tudo para trabalhar num hostel em Morro de São Paulo, amigo com cargo fantástico em empresa multinacional que resolveu pedir as contas porque descobriu que só quer fazer hambúrguer, amiga advogada que jogou escritório, carrão e namoro longo pro alto para voltar a ser estudante, solteira e andar de metrô fora do Brasil, amiga executiva de um grande grupo de empresas que ficou radiante por ser mandada embora dizendo “finalmente vou aprender a surfar”.  – Ruth Manus.

(http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/ruth-manus/a-geracao-que-encontrou-o-sucesso-no-pedido-de-demissao/)

Do outro lado: “ A juventude que não pode largar tudo para viajar o mundo. ”

“Eu acho lindas as histórias da “geração que encontrou o sucesso no pedido de demissão”, mas elas podem gerar um sentimento de depressão muito maior do que de inspiração” – Yasmin Gomes.

geração-y1-572x480

O que os pais/responsáveis esperam da sua instituição?

Com o surgimento acelerado de novas tecnologias e o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, os pais vem procurando investir em uma boa educação para seus filhos. Então o grande desafio das escolas é atender às expectativas dos pais e conseguir maior engajamento dos alunos, ensinar também sobre autonomia, liberdade e responsabilidade e o impacto de suas ações positivas ou negativas, em construir e/ou reconstruir intervenções no espaço social.


As exigências da sociedade contemporânea fazem a escola adquirir nova formatação, aquela escola do passado, centrada na leitura e na escrita que preparava o aluno para o trabalho apenas, dá espaço para a escola ”nova”, pautada na educação cidadã que transforma o aluno em sujeito e prepara-o para o ”mundo do trabalho”, isso não significa que o objetivo da escola tenha mudado, pelo contrário, ela entende a necessidade de desenvolver todas as habilidades e/ou sentidos do homem enquanto ser humano.
O engajamento da família juntamente com a escola, melhora o resultado da educação, é necessário comunicação e diálogo. A escola deve mostrar para os pais que para a expectativa deles seja cumprida, é preciso trabalhar juntos, não só na adaptação dos planos de ensino, como também no acompanhamento e suporte do aluno que, tanto em ambiente escolar, quanto em casa, precisa de instrutores e apoiadores para o seu desenvolvimento.


A sua instituição está preparada para essa “nova escola”?
Como você treina os seus colaboradores para atenderem as novas necessidades que os pais buscam?